quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Pet-Sitting Flipa


 No fim de semana passado, tivemos o privilégio de conhecer esta bonitona, de seu nome FLIPA


Chegou ao fim da tarde de Sábado, é uma menina com uma história de abandono e como tal extremamente apegada aos seus tutores, como se pode ver pelas fotos seguintes, tiradas nas horas seguintes ao seu tutor ter saído.




Portou-se lindamente dentro de casa, não ouvimos a voz dela uma única vez, mas confesso que me custou ver a falta que ela sentia dos donos, principalmente pela incerteza de os voltar a ver, é sem dúvida o problema com que nos debatemos, a impossibilidade de lhes explicar que é uma situação temporária, que os amigos de duas "patas" não os abandonaram e que voltarão para os vir buscar.

Compete-nos a nós, minimizar ao máximo esta separação, obviamente com muitos mimos, carinho e brincadeira, com esta menina, infelizmente não a conseguimos por a brincar, mas no domingo de manhã estava mais confortável connosco, já comia da nossa mão, já se chegava junto de nós para pedir miminho, levantava a pata e deixava-a cair em cima do nosso braço, tão fofa ;)

Uma situação que o tutor nos revelou, era o facto de ela não se sentir muito confortável junto de crianças pequenas, embora nunca tenha mostrado agressividade para com elas, mostra sinais claros de desconforto. Ora, o Stuff da AnimaAnimal  conta com 2 membros de 2 anos e meio, assim sendo, com os conhecimentos de comportamento animal, (que estou a adquirir num curso de treinadores de cães) e sempre com a segurança como prioridade, quer dos meus filhos quer do cão, fiz esta apresentação da Flipa aos pequenos reguilas, que seguiam à risca as indicações que eu lhes dava.

O resultado foi altamente positivo, aos poucos a Flipa percebeu que aqueles 2 "animaizinhos" eram uns porreiros, davam salsicha e não se agarravam a ela, não berravam muito e davam-lhe o espaço que ela precisava para se sentir segura. Foi certamente uma experiência positiva para ela e muito importante no processo de socialização com crianças ;)


  Primeira introdução, comigo sempre por perto, ajudo na aproximação da mão da criança à Flipa, esta obviamente, presa de trela e sendo segurada por outra pessoa.


 Festinhas leves, reforçadas com comida

Crianças calmas e sossegadas,
oferecem comida de alto valor da sua mão


 O fim da estadia da Flipa foi marcado por um aperto no coração de muita gente. Como boa profissional, não seria suposto mencionar este incidente, mas, sendo uma situação quase que inesperada, embora com um peso da responsabilidade enorme, sinto-me na obrigação de partilhar e aprender com ele.

No fim da tarde de Domingo, a Flipa assustou-se com um bater de porta dentro de casa e saiu para o pátio, nem 5 segundos depois, apercebi-me que ela não estava na sala e vim procura-la no pátio, sem êxito, a Flipa tinha-nos fugido, saltou os muros da frente da casa. Sendo ela tão apegada aos tutores, num ambiente diferente e assustada com um barulho, saiu e nem pensou muito até tentar uma fuga. 

Sai desesperada de casa e vi-a a correr na rua, os momentos e horas seguintes foram de sufoco, durante cerca de 1 hora consegui ir mantendo o contacto visual e o rasto dela com a ajuda de várias pessoas na rua, que me iam dando boleia, no entanto, ela continuava a fugir de mim, era impossível para alguém estranho a conseguir apanhar, ela simplesmente não queria ser apanhada por ninguém em quem não confiasse...

Não me querendo alongar muito muito na história, porque o susto embora já tenha passado, o aperto no peito mantêm-se, de cada vez que falo nisto. Os tutores e amigos da Flipa foram incansáveis, e já de madrugada conseguimos encontrá-la num pinhal, perto do sítio onde tinha sido vista a última vez. No inicio não reconheceu a voz do tutor e ainda tentou fugir dele, mas assim que se apercebeu que quem chamava por ela era o seu "fiel amigo" de duas "patas", a euforia foi mais que muita.

Quando o telefone tocou e do outro lado se ouviu, "ela está aqui", o nosso coração parou no mesmo instante que o carro, no meio da estrada escura e deserta, o telefone caiu no colo e os abraços e lágrimas foram sentidos com uma intensidade fora do normal, eu conhecia a Flipa há menos de 48h e tinha conhecido a tutora dela no momento em que lhe dei a noticia da fuga da Flipa, mas naquele momento o sentimento era partilhado da mesma maneira.

Estava sã e salva, muito suja e sedenta, mas mais feliz do que nunca. 

Isto não foi de todo um episódio para esquecer, foi uma situação para aprender, teve um final feliz sim, mas foi extremamente doloroso, emocionalmente e fisicamente, que os km que corri sem parar ainda se sentem hoje, nos meus joelhos e pernas ;)

Ás 3h da manhã, sentada no sofá, sem sono e sem vontade nenhuma de me deitar, revi as fotografias que tirei durante o dia, revi cada episódio dessa fuga na minha cabeça, pensei e ponderei em alternativas para futuras situações destas, revi os meus erros e em como perdi o meu controle emocional como nunca me tinha acontecido antes.

Andamos a ponderar soluções para cães de porte grande que fiquem hospedados aqui em casa, nós não somos hotel, não temos jaulas nem dezenas de cães, os nossos clientes partilham connosco a casa e o espaço, mas cães grandes capazes de saltar estes muros, precisam de medidas muito mais preventivas e eficazes. Na impossibilidade de altear os muros, a solução primária, passa por manter esses cães mais fechados em casa, apenas saindo para os pátios com vigilância e para os passeios. A solução seguinte passará no investimento de uma coisinha destas:

https://shop.kippy.eu/en-gb/catalog/detail/kippy-pet/kp0001?

Naquela situação teria sido perfeito, bem como em outras semelhantes que nos possam acontecer, será sem dúvida um investimento de alto valor e um "seguro" para nós, para os amigos que ficam connosco, e para os tutores, que certamente se sentirão muito mais descansados e confiantes.

Muito obrigada D&R pela compreensão, apoio, ajuda e confiança, adoro conhecer pessoas como vocês e animais tão lindos e especiais como a Flipa, que mesmo depois deste episódio levou com umas beijocas valentes e uma salsicha para o caminho até casa...







Espelho meu, espelho meu, 
existe alguém mais FLIPADA do que eu? :p














Vou sentir a tua falta grandalhona ;)